header


Trabalhando o Folclore na Educação Infantil

Publicado em: 18/08/2019


Dia 22 de agosto, é o DIA DO FOLCLORE !!! Mais uma oportunidade que nós educadores temos para apresentar e trabalhar com nossos alunos,  a cultura  do nosso país.
Ampliar o repertório cultural das crianças é tão importante, que é vista pela BNCC como uma das 10 competências fundamentais para o desenvolvimento integral dos nosso alunos.
 

1. O que a BNCC diz

Valorizar e fruir as diversas manifestações artísticas e culturais, das locais às mundiais, e também participar de práticas diversificadas da produção artístico-cultural.
 


2. O que os alunos precisam desenvolver (desde a Educação Infantil até o fim do Ensino Médio) 

- Fruição: vivenciar sua identidade, comunidade e cultura e demonstrar sentimento de pertencimento, por meio de experiências artísticas e explorando relações entre culturas, sociedades e as artes.
- Expressão: expressar sentimentos, ideias, histórias e experiências por meio das artes. Documentar, compartilhar e analisar obras criativas.
- Investigação e identidade cultural: reconhecer e discutir o significado de eventos e manifestações culturais e da influência da cultura na formação de grupos e identidades.
- Consciência multicultural: desenvolver senso de identidade individual e cultural e demonstrar curiosidade, compreensão e respeito com diferentes culturas e visões de mundo. 
- Respeito à diversidade cultural: experimentar diferentes vivências culturais e compreender a importância de valorizar identidades, tradições, manifestações, trocas e colaborações culturais diversas.
Mediação da diversidade cultural: reconhecer os desafios e benefícios de se viver e trabalhar em sociedades culturalmente diversas e explorar novas formas de reconciliar valores e perspectivas culturais diferentes ao abordar desafios em comum.
 
No dicionário, folclore é o conjunto de tradições e manifestações populares constituído por lendas, mitos, provérbios, danças e costumes que são passados de geração em geração. A palavra tem origem no inglês, em que "folclore" significa sabedoria popular.
É importante salientar, que o folclore deve ser trabalhado o ano inteiro nas aulas de música, porque oferecem diversas possibilidades de interação e brincadeiras. Muitos, porém acreditam que é um trabalho que se resume às lendas. 
Trabalhar com o folclore envolve música, danças, instrumentos musicais, parlendas, etc.
 
Cada família conhece músicas, brincadeiras que passaram de geração em geração, ou seja, são elementos da sua própria cultura. Por isso, é interessante fazer um projeto que a família possa contribuir enviando materiais relevantes, pois tudo isso torna o folclore mais concreto para a vida real da criança e não um tema distante e chato. Estes costumes que aconteceram e que ocorrem até hoje determinam os aspectos culturais da cultura brasileira.
 
Se pensarmos que o Brasil apresenta aspectos culturais que variam de região a região, vamos concluir que é impossível fazer um rico projeto voltado ao folclore, apenas em agosto. Trabalhar as manifestações culturais envolve também outras competências propostas pela BNCC, como conhecimento, pensamento científico, crítico e criativo, empatia, trabalho em equipe, etc.
 
Na Educação Infantil precisamos trabalhar os conteúdos escolhidos levando em conta as necessidades e interesses da faixa etária. Por isso, é muito interessante trabalhar nas aulas de música brincadeiras cantadas e cantigas de roda. São propostas que passam de geração em geração porque são fáceis de memorizar, geralmente contam pequenas historinhas, desenvolvem a oralidade, trabalham movimentos e interações. Muitas trazem para a sala de aula, uma carga afetiva positiva, pois os pais e avós muitas vezes cantam essas músicas para as crianças.
Precisamos ter em mente, que na educação infantil, a criança se expressa por meio de seu corpo. Quando ela canta, bate palmas, bate os pés, brinca de roda, arrasta o corpo imitando um animal, ela está utilizando o seu corpo para trabalhar os aspectos psicomotores (emocionais, cognitivos e motores), fundamentais para seu desenvolvimento integral.
 
Através das brincadeiras cantadas, parlendas, brincos, histórias cantadas do folclore, as crianças desenvolver a oralidade e os aspectos psicomotores fundamentais para o seu desenvolvimento integral. Não podemos nos esquecer, que a criança tem direitos: Conhecer-se, expressar, explorar, brincar, participar, conviver. O folclore, com sua riqueza de interações e brincadeiras, nos ajuda a garantir estes direitos em nossas aulas com nossos alunos.
 

 
Uma forma  eficiente de trabalhar o folclore, é através de parlendas. Seguem alguns exemplos:

1. Dedo mindinho, Seu Vizinho, Pai de Todos, Fura Bolo, Mata Piolho 
2. Roda, roda na mãozinha, para achar o coelhinho...vai subindo, vai subindo...achou!!! 
3. Amanhã é domingo, pé de cachimbo, o cachimbo é de barro, bate no jarro, o jarro é de ouro, bate no touro, o touro é valente, bate na gente, a gente é fraca, caí no buraco, o buraco é funcho, acabou-se o mundo
4. 1, 2 feijão com arroz, 3, 4 feijões no prato, 5, 6 falar em inglês, 7, 8 comer biscoito, 9, 10 comer pastéis.



Histórias utilizando dedinhos são simples, porém muito ricas para esta faixa etária, pois possuem um enredo com começo, meio e fim, tem compreensão bem fácil, trabalha a musicalidade da nossa fala com rimas, melodias ,permite  que a criança memorize e conte a narrativa utilizando os gestos, que é o precursor da fala. Logo, brincando a criança amplia seu vocabulário de uma forma natural, amplia sua concentração, além de ampliar seu contato afetivo com o contador, que pode ser o pai, a mãe, o avô, a babá, a professora, etc.

Muitas vezes queremos estimular as crianças com muitos brinquedos, porém temos que levar em conta que para a criança menos é mais. O importante é fornecer o estímulo adequado, de acordo com os interesses e necessidades da criança pequena.
Se prepare para repetir muitas vezes a mesma história, pois a criança gosta de ouvir e pede para contarmos muitas vezes. Repetir histórias, proporciona novas vivências e permite com que ela entenda o todo com uma dimensão especial.
Antes de começar, crie um clima para o momento. Desligue celular, TV e dedique um tempo exclusivo para a criança. Você se surpreenderá ao ver depois da contação de histórias, a mesma criança recontando para suas bonecas e para seus amiguinhos.
As histórias de mãos têm essas vantagens: 
  • São fáceis de memorizar
  • Só precisam de mãos
  • Podem ser contadas em qualquer lugar
  • Auxiliam o pensamento da criança na medida que ela interage seguindo a narrativa com os gestos
Segue um exemplo de história de mãos do nosso folclore:

Seu José e Seu Mané - CLIQUE AQUI


Pom, pom, pom - 
CLIQUE AQUI


 


Muitas canções folclóricas são Histórias Cantadas. Vejam alguns exemplos e técnicas para trabalhá-las:
 
Seu Lobato - 
CLIQUE AQUI

 
Música com sinos - 
CLIQUE AQUI

  
História para integrar diversas propostas do folclore - 
CLIQUE AQUI

 

Existem várias possibilidades de repertório folclórico para a sala de aula para trabalharmos os elementos rítmicos com percussão corporal ou instrumentos musicais. Segue abaixo uma proposta:
 
Lá no pântano - 
CLIQUE AQUI

 
De olhos vermelhos - 
CLIQUE AQUI

 


3. Lendas Brasileiras
  • Saci Pererê - Lendas Brasileiras ( Elaine Octaviani e Thais Aquino) CLIQUE AQUI
  • Boi Bumbá - Lendas Brasileiras ( Elaine Octaviani e Thais Aquino- CLIQUE AQUI
  • Atividades Musicais Folclóricas - Lendas BrasileirasElaine Octaviani e Thais Aquino) - CLIQUE AQUI

Trabalhar o folclore é resgatar, fazer chegar para as crianças este rico repertório de brincadeiras de rodas, festas, folguedos, parlendas, que são formas de expressão cultural e atividades educativas que possibilitam inúmeras propostas de trabalho musical para serem desenvolvidas. 
Termino com a frase de Iris Costa Novaes, em seu livro “Brincando de roda”: “Em face das atuais condições de vida nas quais se torna cada vez mais difícil o brinquedo das crianças em grupo, cabe ao professor divulgar os brinquedos de roda folclóricos de nossa terra, mantendo viva uma tradição que pouco a pouco se extingue”.




4. Faça cursos de especialização 

Apesar de estar muitos anos atuando na sala de aula, eu sempre estou fazendo cursos, lendo bons livros e invisto em materias que fazem toda a diferença nas minhas aulas. Aliás, sempre estou refletindo no meu planejamento, sobre o que posso melhorar.
Sim, nasce um professor, nasce um aprendiz. Os cursos que faço, que me deixam mais satisfeitas, são aqueles que aliam a teoria à prática, que me fazem refletir, pensar e me fazem perceber que eu ainda tenho muito o que aprender e isso é maravilhoso!
Para sua formação continuada, busque cursos que falem sobre desenvolvimento infantil, com embasamento teórico das atividades práticas, que trabalhem dentro das propostas ativas da educação. Isso te trará um aprofundamento muito superior e te fará um profissional de alta performance.
 
Caso você tenha interesse, tenho cursos online que atendem o mundo inteiro: cursos de 4
h, 20h e 120 horas - CLIQUE AQUI. Em cada um deles você receberá os vídeos com o passo a passo das propostas, o embasamento teórico de cada atividade, apostilas para impressão, as músicas em MP3 e Certificado. Se tiver dúvida, me chame no whatsapp: 11 97647-6562

Também tenho cursos presenciais. Consulte nossa agenda - CLIQUE AQUI


Espero que tenham gostado das minhas dicas!!!
Existem outros artigos, publicações e videos, basta acessar e conferir!

Quero te convidar a participar de um dos meus Grupos de Estudos!  É gratuito e você receberá todas as notícias da página em primeira mão, além de brindes exclusivos.
Quer saber como? 
Me adicione no whatsapp: 11 97647-6562
 

Até a próxima,
 

Débora Munhoz Barboni
www.cantinhodamusica.com.br






Copyright© 2019 Cantinho da Música. Todos os direitos reservados